Segurança no Trabalho

CIPA: conheça o conceito e saiba sua importância

Tempo de leitura: 6 min
Powered by Rock Convert

Acidentes no ambiente de trabalho configuram uma das principais preocupações das empresas. Isso porque, quando um funcionário passa por uma situação desta natureza e precisa se ausentar de suas atividades laborais para tratamento, não somente ele sai prejudicado, mas também sua família, amigos e a própria empresa. Afinal, a imagem da empresa fica comprometida perante o público interno e externo, isso sem contar os prejuízos financeiros. 

Felizmente, há uma forma de evitar que tudo isso aconteça: e é aqui que a CIPA entra como um importante instrumento de conscientização e prevenção de acidentes. Quer saber mais sobre esse conceito, sua obrigatoriedade e qual é a sua relevância dentro das empresas, sobretudo naquelas em que os trabalhadores estão expostos a situações de risco? Continue conosco e entenda!

O que é a CIPA e qual é a sua função

De modo geral, a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) é uma comissão composta por representantes dos empregados “empossados através de eleição” e por representantes do empregador “indicados pela empresa”. A CIPA possui como principais objetivos a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, visto que esta esta comissão é responsável por criar ações preventivas e promover melhores condições do espaço de trabalho, promovendo a segurança e um ambiente saudável aos trabalhadores e à empresa.

Mas elaborar planos e campanhas não é o único papel desse grupo. Seus membros também são responsáveis por fiscalizar e executar as medidas necessárias para que tais ações sejam cumpridas. Sendo assim, também cabe à CIPA realizar verificações periódicas nos ambientes de trabalho e promover melhorias para aquilo que não vem dando certo.

A CIPA é obrigatória?

Segundo a legislação vigente, todas as empresas e instituições com mais de 20 funcionários devem, por lei, constituir a CIPA. Já aquelas que têm menos que 20 colaboradores precisam nomear um responsável que cumprirá com as ações da CIPA. 

Benefícios da CIPA

Agora que você sabe o que é a CIPA, conheça seus benefícios para o ambiente de trabalho.

Prevenção de acidentes

O Brasil ocupa a quarta posição em um ranking mundial de acidentes de trabalho. São cerca de 700 mil casos registrados pela Previdência Social todos os anos e, de acordo com dados do Observatório Digital de Segurança e Saúde do Trabalho, é possível contabilizar uma morte por esse motivo a cada 3 horas e 40 minutos. Dados alarmantes, concorda? 

Vale destacar, também, que os encargos trabalhistas e previdenciários oriundos desses eventos têm um custo altíssimo para as empresas e para os cofres públicos. Estima-se que em torno de 4% do PIB (Produto Interno Bruto) global seja gasto com estes encargos.

Colaboradores capacitados

Para a posse da CIPA, é necessário que os trabalhadores eleitos e indicados passem pela etapa de capacitação, pois é a partir desse treinamento que eles terão subsídios para conduzir seu mandato de forma efetiva. Nessa capacitação, são fornecidas instruções úteis ao dia a dia da corporação, como:

  • condições atuais de trabalho;
  • riscos envolvidos nos processos;
  • métodos de investigação e análise de acidentes (e doenças) de trabalho; 
  • legislação trabalhista e previdenciária sobre segurança e saúde do trabalhador;
  • controle de riscos;
  • princípios de higiene do trabalho;
  • noções sobre AIDS e medidas de prevenção;
  • exercício das atribuições da CIPA.

Melhoria da reputação da empresa

Sobretudo nos dias de hoje, prezar pela qualidade de vida dos colaboradores nunca esteve tão em pauta. As organizações que pensam e agem de forma estratégica entendem que o investimento na integridade e desenvolvimento do capital humano traz melhorias e retornos positivos a curto e longo prazo, como diminuição de acidentes e afastamentos, retenção de talentos e imagem positiva da corporação perante o mercado, sociedade, colaboradores e clientes, tornando-a diferenciada. 

Principais atribuições da CIPA

Se você quer entender como a CIPA pode ser útil, na prática, confira, a seguir, as suas atribuições.

Identificar riscos

Antes de elaborar ações, a CIPA e seus membros devem fazer um planejamento que inclui o estudo do ambiente organizacional. Assim, é possível construir um mapa de riscos e apresentá-lo à empresa para, então, pensar em medidas preventivas. 

Realizar a verificação dos ambientes e das condições de trabalho

Uma das principais atribuições da CIPA é realizar inspeções de segurança na empresa. Essas ações podem ter como base tanto denúncias e relatos dos empregados quanto iniciativas do empregador ou do próprio grupo.

Nestas verificações das condições de trabalho, são relatados os riscos encontrados para a empresa e para o Serviço Especializado de Engenharia e Medicina do Trabalho (SESMT) — grupo de especialistas nas áreas em questão que atua nas organizações para garantir a integridade física e a preservação da saúde dos trabalhadores. 

Com o relatório em mãos, empresa e SESMT, possuem subsídio suficiente para implementar ações de melhorias para o ambiente de trabalho. 

Divulgar informações sobre saúde do trabalhador

De nada adianta realizar inspeções e criar ações se os colaboradores não estiverem engajados com as atividades propostas. É fundamental manter o interesse dos funcionários sobre o assunto, divulgando informações relevantes em relação à prevenção de acidentes e doenças ocupacionais.

Com os times devidamente motivados a manter essas questões em pauta, a eficácia da atuação da CIPA e o cumprimento de seus objetivos são consequências naturais. 

Organizar a SIPAT

A Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT) é uma das atribuições da CIPA, devendo ser organizada e realizada todo ano nas empresas, em conjunto com o SESMT. Como o próprio nome já indica, trata-se de uma semana na qual são promovidas campanhas e atividades de conscientização entre os colaboradores. O mais eficaz é pensar em ações que gerem engajamento e captem o interesse dos participantes, imergindo-os no tema. 

Formação da CIPA e como os colaboradores podem participar

Qualquer colaborador pode fazer parte da CIPA, sendo que a entrada pode se dar através de eleição por candidatura ou por indicação do empregado.

O presidente da CIPA é escolhido pelo empregador, e o vice-presidente será um dos eleitos “representantes dos empregados”, normalmente o mais bem votado. Os integrantes da CIPA também deverão indicar um secretário e um substituto. 

Cabe aos responsáveis pensar nas campanhas que mais se alinham à cultura e à rotina dos trabalhadores. Algumas das principais ações, aqui, incluem dinâmicas nas quais cada funcionário fica responsável por trazer um tema a ser discutido, treinamentos personalizados, promoção de uma vida saudável, palestras que abordam os malefícios de substâncias como álcool e drogas e também sobre doenças sexualmente transmissíveis (AIDS), atividades que debatam pautas como saúde mental, etc. 

Viu só como a CIPA é extremamente importante para o bom funcionamento de um negócio? Isso porque a prevenção, quando o assunto é segurança do trabalho, é a principal chave para evitar que situações desagradáveis aconteçam, gerando prejuízos físicos, emocionais e financeiros para todos os envolvidos. 

Por falar em segurança do trabalho, que tal aproveitar que está aqui e conferir nosso artigo que mostra porque este é um tema que deve estar sempre em evidência nas indústrias? Te esperamos por lá!

Banner Sesi Viva MaisPowered by Rock Convert