Gestão de Pessoas

A importância da preparação para aposentadoria: guia para sua empresa

Tempo de leitura: 6 min
Powered by Rock Convert

A vida é feita de fases. Esse pode até ser um clichê, mas o fato é que muitas pessoas não se planejam para novas etapas. O melhor exemplo disso é a preparação para aposentadoria. Poucos trabalhadores se preocupam com esse momento tão importante e acabam surpreendidos negativamente quando ele chega.

Quando nos referimos à preocupação, estamos falando de que é preciso levar em consideração aspectos como as finanças, a saúde física e mental e os relacionamentos saudáveis: dimensões importantes para uma vida longeva e uma aposentadoria tranquila.

Devido a uma transição demográfica, mudança nos padrões epidemiológicos e a alta tecnologia dos últimos 30 anos, as pessoas estão vivendo mais. Isso reflete no mundo do trabalho e na forma como percebemos o nosso fazer. Quando falamos em aposentadoria, significa dizer que no contexto do trabalho concluímos um ciclo e iniciamos outro dentro de um modo de pensar a vida pelo viés da longevidade. Não devemos nos preparar apenas para a aposentadoria, mas também para o processo do envelhecimento natural: momento que irá chegar para todos nós.

Se esse tema interessa a você, então confira o que pode ser feito para preparar o funcionário da sua empresa para a aposentadoria. Acompanhe o artigo!

Saúde física e mental

Além da questão financeira, é preciso considerar a saúde física e mental de quem vai se inserir em uma nova realidade ao pedir a aposentadoria.

As empresas podem criar ações voltadas para a saúde física e mental, incentivando os funcionários a praticarem exercícios, se alimentarem adequadamente e terem atividades de lazer. Além disso, podem atuar no campo da psicoeducação, esclarecendo dúvidas do trabalhador a respeito de questões como o plano de saúde e acompanhamento de sua saúde geral, entre outros benefícios que podem deixar de ser oferecidos no fim do contrato. A questão é buscar meios não somente para informar o trabalhador a respeito de como ele poderá viver melhor, mas também de criar formas de já facilitar esse processo de transição.

Relacionamentos saudáveis

A rotina do colaborador ao longo de anos certamente será modificada quando ele deixar de trabalhar. Quando a transição acontece sem que haja o devido preparo, o impacto tende a ser danoso para a pessoa. Ela pode se sentir sem função no espaço em que ocupa, dando origem a uma série de problemas.

Em relação a isso, a dica é conscientizar o profissional para garantir que a família e até mesmo os amigos também façam parte do processo de planejamento de sua nova fase. Com o trabalho conjunto, a tendência é que as dificuldades sejam menores e haja ganho de qualidade de vida.

Quanto às atividades, é preciso salientar que a aposentadoria não precisa representar mais do que o fim de um ciclo profissional. A pessoa pode fazer desse momento uma oportunidade para se dedicar a uma nova rotina, com atividades que aprecie. Dado que ela terá mais tempo, poderá intensificar os cuidados consigo mesma.

Essa pode ser a chance de dar início a novos projetos, mais voltados a seus reais interesses e menos concentrado no dinheiro. Novamente, a empresa pode auxiliar seus colaboradores por meio da realização de eventos como palestras e outros projetos mais específicos, criando uma cultura a respeito de relacionamentos interpessoais mais saudáveis e duradouros.

Educação financeira

A educação financeira é fundamental para que o indivíduo lide com o seu dinheiro de maneira racional e em função de objetivos.

Um programa voltado para a educação financeira pode orientar o trabalhador a escolher entre as diferentes possibilidades de investimentos que o mercado apresenta, além de ensiná-lo a poupar.

A Previdência Privada e títulos de Renda Fixa, por exemplo, são soluções cada vez mais populares. Quando se encaixam em uma estratégia de investimentos, podem trazer um retorno bem interessante para o investidor.

O ideal é que o trabalhador não passe a se preocupar com a questão financeira apenas nos últimos anos antes de se aposentar. Durante a sua permanência na empresa, o trabalhador já pode ser incentivado a criar um plano de vida e indicar caminhos para que seu futuro seja facilitado.

Programas de orientação

O foco total do trabalhador nas suas atividades em busca de desenvolvimento costuma ser um diferencial para as empresas se destacarem no mercado em que atuam. Entretanto, quando chega a hora de o profissional se retirar, é natural que sinta falta de uma atividade formal de rotina.

Problemas como depressão e incompatibilidade com a rotina dos familiares costumam aparecer em consequência de um estilo de vida abruptamente interrompido. Por isso, é importante que as companhias criem programas para orientar funcionários a lidar com a fase da aposentadoria.

A empresa pode auxiliar seu colaborador na construção daquilo que conhecemos como “Projeto de vida”, que pode ser feito em qualquer idade, no qual ele literalmente mapeia como será a sua rotina na fase pós-trabalho. Esse tipo de ação pode ser eficiente para ajudar o profissional a ir construindo sua realidade futura anos antes de dar início a ela. Pode ser iniciado pelos profissionais do RH ou até mesmo em ações do próprio setor de saúde ocupacional da empresa.

O objetivo é ajudar o colaborador a planejar um estilo de vida saudável enquanto ainda está em fase ativa para que, durante a aposentadoria, ele seja capaz de buscar novos objetivos, se mantendo em boa forma física e mental.

Plano e objetivo de vida

O mais importante é que a pessoa tenha qualidade de vida sempre, pois ao deixar esses cuidados para a aposentadoria, a tendência é que tenha maiores dificuldades por partir “do zero” quando esse momento chegar. As dicas anteriores mostram como a empresa pode ser útil nesse sentido, mas é importante também que a própria pessoa formalize seus objetivos de vida, afinal, seus planos serão individuais.

Pensando assim, o ideal é que as metas sejam traçadas o quanto antes por parte do trabalhador, e que os cuidados com a saúde ao longo da vida se transformem em hábitos visando a uma vida longeva e com qualidade. Dessa forma, será mais fácil atingir os objetivos.

A partir dessa ótica, o maior tempo que a pessoa terá à sua disposição na aposentadoria poderá representar também a oportunidade para que ela busque esses objetivos e, consequentemente, tenha mais qualidade de vida.

De maneira geral, o importante é ter atenção a essa transição, que naturalmente fará parte da vida de todos nós.

Quer saber mais sobre temas sobre a saúde do trabalhador? Então assine a nossa newsletter para receber novas informações!

Powered by Rock Convert
Banner Sesi Viva MaisPowered by Rock Convert