Fatores Psicossociais

Em tempos de Coronavírus, cuidar da saúde mental é fundamental.

Tempo de leitura: 6 min

Estamos vivenciando um momento delicado que pode provocar um pânico generalizado na população, principalmente quando não se tem total conhecimento e acesso a informações confiáveis sobre o que está acontecendo. Momentos de pandemia como o que estamos vivendo em virtude da COVID-19, causada pelo novo Coronavírus, pode abalar a saúde mental causando estresse e ansiedade.

Como forma de apoiar as empresas e sociedade em geral a enfrentar este momento, o Centro de Inovação SESI em Fatores Psicossociais (CISFPS) elaborou um guia orientativo com dicas para preservar o bem estar no ambiente de trabalho e das relações durante este momento de crise.  Confira:

Evite o excesso de informações:

A todo o momento surgem informações novas sobre o Coronavírus, mas apesar de ser importante procurar conhecimento, ficar conectado o tempo todo pode gerar preocupação e estresse, nos deixando num estado mental de alerta e prejudicando nossa capacidade de discernimento.

Busque se informar apenas uma vez ao dia e consulte somente fontes confiáveis para não cair em fake news. Conhecer histórias positivas, também pode ser uma ferramenta para aliviar a tensão. Conversar e compartilhar experiências com pessoas, mesmo que a distância pode ajudar a ter um pensamento mais otimista.

Respeite o próximo

Não seja preconceituoso com quem está contaminado com o COVID-19. Este vírus é capaz de contagiar gente do mundo todo, independente de etnias, nacionalidade, classe social, gênero, entre ouras diferenças.

As pessoas têm formas diferentes de lidar com a preocupação, o medo e o pânico, então, mesmo que você não esteja estressado com tudo que está acontecendo, respeite o próximo, se coloque no lugar do outro, tentando entender seus medos e receios e apoie no que for possível.

A empatia também deve ser exercitada, evitando sair de casa para não propagar o vírus para outras pessoas, não estocando coisas e alimentos sem necessidade e oferecendo ajuda às pessoas que estão mais vulneráveis ao contágio.

Estas atitudes solidárias podem ajudar não só a pessoa que recebe apoio no seu momento de necessidade, mas também beneficiar quem ajuda, facilitando a maneira de enfrentar este momento.

Em caso de isolamento:

O isolamento social pode gerar angústia, sentimento de solidão e um mal- estar psicológico suscedendo em problemas mais graves como ansiedade e depressão. O contato fisico, o abraço, o beijo, o aperto de mão, fazem parte da nossa cultura, por isso se acostumar ao isolamento, não é tarefa fácil. Além de evitar fake news, como já foi citado anteriormente, seguem algumas orientações que podem auxiliar a enfrentar este momento.

  • Cuide de suas necessidades básicas: mantenha rotinas regulares de sono, alimente-se bem e descanse sempre que possível.
  • Se manter ativo e produtivo, ajuda a passar o tempo e aliviar as tensões. Movimente-se, pratique atividades físicas e manuais, organize sua casa, leia livros. Procure fazer atividades que lhe deem prazer e ânimo.
  • Evite o uso abusivo de tabaco, álcool ou outras drogas. Isso não vai ajudar a enfrentar a situação e com o tempo, pode piorar o seu bem-estar físico e mental.
  • Mantenha o contato com a família e amigos mesmo que virtualmente com o uso das redes sociais ou por telefone.
  • Se está trabalhando de casa, organize sua rotina e distribua o tempo, respeitando os intervalos de refeições e descanso.
  • Neste momento o isolamento é uma importante forma de preservação e contribuição para o bem comum. É importante lembrar que não se trata de uma condição definitiva e tudo voltará ao normal.

 

Considerações para líderes, integrantes dos recursos humanos e segurança e saúde do trabalho nas empresas:

  • Epidemias como a do Coronavírus podem gerar um ambiente de preocupação, insegurança e ansiedade, por isso os líderes , assim como os profissionais da saúde devem priorizar o bem estar de seus trabalhadores, mantendo um clima de trabalho tranquilo e seguro.
  • Recorra a ações de comunicação interna, para disseminar informações de como se prevenir, reforço sobre higienização e contato com outro, a fim de garantir uma comunicação de qualidade, com informações atualizadas e precisas sobre o vírus.
  • Disponibilize espaços para que os trabalhadores possam esclarecer suas dúvidas, não apenas em relação ao COVID-19, mas principamente sobre decisões e posicionamentos da empresa em relação à situação. Além disso, evite expor os trabalhadores que estejam em suspeita de contaminação e os encaminhe para atendimento especializado.
  • Facilite o acesso e garanta que os trabalhadores estejam cientes de onde eles podem acessar os serviços de saúde mental e de apoio psicossocial, caso necessário.
  • Líderes, profisionais dos recursos humanos ou saúde das empresas também podem se sentir estressados e sobrecarregados nesta situação. Gerenciar o estresse e bem-estar emocional durante esse período é tão importante quanto gerenciar a saúde física. Dessa forma se sentirão mais preparados para auxiliar a si e todos que estão ao seu redor.

 

Considerações para cuidadores de crianças

As crianças percebem que algo diferente está acontecendo e demonstram preocupação, então conversar, escutar e orientar, com explicações condizentes a faixa etária, ajuda a lidar melhor com as emoções. Se você tem filhos ou é cuidador de alguma criança, procure manter a rotina diária e não deixe de brincar, jogar ou desenhar. Estas atitudes podem facilitar este processo.

Lembre que esse é um período atípico e que concessões podem ser feitas, que não vai fazer mal se as crianças e adolescentes ficarem um pouco mais no celular, ou vendo TV, o importante é variar as atividades.

Considerações para cuidadores de idosos

As pessoas mais velhas compõe o principal grupo de risco, portanto é bem provável que se sintam mais ansiosos, irritados, estressados e agitados. Neste momento, todo apoio emocional é essencial. Tenha paciência com os idosos, converse e ofereça orientações claras sobre prevenção, minimizando sentimentos negativos em relação ao novo contexto.

Peça ajuda

Caso você perceba que está muito triste, ansioso, abalado emocionalmente com a situação, não hesite em pedir ajuda, seja para algum familiar, amigos ou profissional da saúde que o acompanha.

Encontre as informações em fonte seguras como:

 

Fontes consultadas: