Como manter a mente saudável em momentos de crise
Fatores Psicossociais

Como manter a mente saudável em momentos de crise

Tempo de leitura: 5 min

É normal estranharmos uma mudança de rotina. E quando a mudança é associada a um motivo como uma pandemia global, o emocional sente mais ainda os impactos. Enquanto a preocupação de todos se concentra na saúde física e na manutenção da imunidade, não podemos descuidar da saúde mental.

Há diversas pequenas atitudes que podem nos auxiliar neste momento em que precisamos nos readaptar a uma nova realidade, que inclui menos socialização, menos contato com o mundo exterior e, em alguns casos, o teletrabalho (ou home office). Ter uma rotina a seguir, manter contato com colegas, amigos e familiares mesmo a distância e evitar o excesso de informações são algumas das práticas que podem ajudar a manter a cabeça em ordem.

Outro importante cuidado é reconhecer que as emoções que surgem neste momento são legítimas. Não precisamos nos sentir culpados por não estarmos bem o tempo todo, e algumas emoções, ainda que negativas, são comuns durante o isolamento social.

Que emoções são comuns neste momento?

Antes de buscar combatê-las, precisamos identificar as emoções que estão surgindo. E não há nada de errado em senti-las: todas as emoções humanas são sinais de algo que merece nossa atenção.

O primeiro passo para lidar da melhor forma com o momento atual é, portanto, entender os sentimentos que estão presentes. É compreensível, por exemplo, que você e as pessoas à sua volta sintam medo de adoecer ou de perder alguém querido. Da mesma forma, muitos estão preocupados com a questão financeira, receosos de perder o emprego ou de não conseguir pagar as contas.

Estes são medos racionais, pois refletem situações tangíveis e reais. Além deles, porém, podemos sentir irritabilidade, tédio, solidão, sensação de impotência e desamparo ou mesmo tristeza por não poder ver pessoas amadas.

Como consequência, algumas pessoas sentem falta ou excesso de apetite, dificuldade para dormir, insônia ou muito sono, e todos os sentimentos, de alguma forma, estão interligados. Não há fórmula mágica para combatê-los, mas é possível reduzir seus efeitos e buscar ajuda a partir do momento em que reconhecemos a presença deles.

Sendo assim, busque prestar atenção nas suas emoções e nos sinais que seu corpo dá. O autocuidado começa com esta consciência e traz inúmeros benefícios — até mesmo para a imunidade.

A importância de cuidar da saúde mental na pandemia

Não é novidade que o estresse, além de ser um fator prejudicial, influencia negativamente em nossa saúde e bem-estar. É, inclusive, cientificamente comprovado que o cortisol, hormônio associado ao estresse, age em todo o corpo e tem papel determinante no sistema imunológico — nosso sistema de defesa —, enfraquecendo-o.

No atual momento, é natural que as pessoas estejam preocupadas e estressadas. E buscar o apoio psicossocial, para que seja mais leve passar por este período, torna-se ainda mais importante quando sabemos que manter-se emocionalmente bem pode ser um fator determinante para a manutenção do bem-estar integral — físico e mental.

Para evitar o pânico generalizado, o Centro de Inovação SESI em Fatores Psicossociais preparou um guia orientativo com dicas para preservar o bem-estar neste momento. As dicas incluem evitar o excesso de informações, exercitar a empatia e pedir ajuda se for necessário.

Além das dicas do guia, bem focadas em saúde mental, outras práticas podem ajudar a preencher os dias e enfrentar o momento de pandemia com leveza e otimismo.

Atividades importantes para vencer o isolamento

Preocupar-se diretamente com a saúde mental é, indiscutivelmente, importante. Porém, manter a cabeça ocupada pode ajudar a promover o bem-estar e evitar que o estresse e a ansiedade tornem-se constantes. Lembrando que você pode pedir ajuda ao RH da sua empresa ou a um profissional da saúde, como psicólogo ou psiquiatra, a qualquer momento se achar necessário.

Confira abaixo cinco maneiras de passar o tempo cuidando de sua saúde física e mental:

1. Alongue-se

Especialmente para quem está em teletrabalho, a ergonomia não pode ser deixada de lado. Procure trabalhar num lugar que lhe traga conforto e lembre-se de fazer pausas durante as atividades. Para isso, temos diversos exercícios de alongamento disponíveis para ajudar você a ativar o corpo, relaxar e sair do isolamento mais flexível.

2. Mexa-se

Com o tempo livre que o isolamento garante, temos a oportunidade para estabelecer uma rotina de exercícios. As atividades físicas, além de serem divertidas, são extremamente benéficas para a saúde física e mental. Se você precisa de um empurrãozinho para começar, pode conferir a seção “ATIVIDADE FÍSICA” deste link.

3. Alimente-se bem

A quarentena pode ser útil para aprender novas receitas e até mesmo começar uma reeducação alimentar junto com a família dentro de casa. Temos uma publicação reservada para falar sobre alimentação saudável em tempos de pandemia que pode ser uma bela inspiração.

4. Informe-se em fontes confiáveis

O excesso de informação pode encher nossa mente de preocupações. Para filtrar o que realmente precisa ser lido, acesse apenas fontes oficiais. O hábito da leitura também é bastante benéfico, principalmente para o cérebro. Leia livros que tenham um assunto que lhe agrade ou que lhe chame a atenção. 

5. Foque no estudo e desenvolvimento pessoal

Nada melhor para manter a mente ocupada e saudável do que aprender algo novo e desenvolver habilidades úteis. Pensando nisso, o SESI/RS uniu esforços com o IEL/RS para lançar as Trilhas de Aprendizagem EAD. São quatro trilhas distintas, cada uma com uma carga horária particular, que proporcionam ao aluno o desenvolvimento integral sobre o tópico escolhido.

Totalmente gratuitas, as trilhas dividem-se em “Gestão Financeira”, “Conhecendo a Indústria 4.0”, “Gestão de Pessoas” e “Comunicação Escrita no Trabalho”. Saiba mais sobre a proposta no vídeo abaixo:

Que tal começar a aprender algo novo de onde você estiver? Saiba mais e faça a sua inscrição na trilha de sua preferência aqui.