10 dicas de comunicação interna para promover o engajamento em SST

8 minutos para ler

A importância do investimento em ações de segurança e saúde no trabalho não é novidade — até porque muitas das medidas de SST fazem parte de requisitos legais, ou seja, são obrigatórias. Mas outras áreas da empresa podem contribuir para disseminar o comportamento preventivo dentro da organização, como é o caso da comunicação interna. Se bem utilizada, ela pode ser uma excelente ferramenta para promover o engajamento em SST.

O investimento em SST é reconhecidamente um fator de competitividade empresarial, pois um ambiente seguro e trabalhadores saudáveis são fatores diretamente ligados à produtividade. Outro fator que agrega importância nesse quesito é o fator humano, relacionado à motivação de equipe, engajamento, retenção de talentos e comprometimento com as entregas.

Um ambiente seguro proporciona ao trabalhador um melhor desempenho, uma vez que ele trabalha menos preocupado com a sua integridade física, tendo sua capacidade intelectual utilizada apenas para a realização das suas tarefas.

Os pilares da segurança

Neste contexto, é importante ressaltar que o investimento em segurança não está restrito apenas ao uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Os pilares da segurança são mais amplos e consistem, primeiramente, em reduzir ou eliminar os riscos e, depois, em reduzir ou eliminar a exposição do trabalhador ao risco, seja por barreira física ou controle administrativo.

No caso de a eliminação ou redução do risco ser inviável, será hora de buscar um Equipamento de Proteção Coletiva. Se também não for possível a aplicação de Equipamentos de Proteção Coletiva, então, finalmente, será adotado o uso do EPI.

Isto significa que o equipamento de proteção individual deve ser o último quesito a ser considerado, justamente porque depende do engajamento do próprio trabalhador, tornando a gestão da segurança mais imprecisa. Por isso, é fundamental sempre trabalhar com ações de engajamento dentro da empresa, mantendo uma cultura prevencionista, com foco na promoção da saúde e segurança.

Como promover a segurança no trabalho de forma persuasiva?

Este desafio não envolve apenas a equipe de SST, mas também o setor de RH e comunicação interna. Afinal, é a área de desenvolvimento humano e a expertise em marketing que vão criar estratégias para ajudar a “vender” a ideia de segurança e convencer o trabalhador de que isso é importante. As informações devem atingir o trabalhador de forma clara e representativa para que ele consiga compreender a mensagem, concordar com ela, aplicar a orientação na sua rotina e replicar para os demais colegas. 

Quando se trata de uma empresa maior, normalmente estes três setores (SST, RH e Marketing) são estruturados, embora nem sempre atuem de forma conjunta. Em empresas com o quadro funcional menor, porém, também é possível aplicar algumas práticas que mobilizem os trabalhadores. 

Separamos 10 dicas que podem ajudar a sua empresa a promover o engajamento nas ações de segurança através da comunicação interna. Confira!

  1. Passe orientações claras e objetivas

As orientações de segurança devem ser sempre claras e objetivas, considerando os diferentes níveis de instrução dos trabalhadores da empresa. Além disso, as mensagens devem ser disseminadas por canais que tenham ampla visibilidade e que sejam de fácil acesso para todos.

  1. Sinalize ambientes

A boa sinalização dos ambientes de trabalho também é uma ferramenta de sensibilização e prevenção. É importante conscientizar os funcionários sobre os riscos aos quais eles estão expostos, lembrá-los de usar os EPIs obrigatórios e sempre alertá-los sobre a correta higienização, conservação e armazenamento dos equipamentos de proteção.

  1. Promova a representatividade

Ao desenvolver materiais de comunicação interna para o engajamento em ações de prevenção, é importante que os trabalhadores se sintam representados — inclusive as pessoas com deficiência. Por isso, o ideal é que se conheça bem a realidade do chão de fábrica para, a partir disso, elaborar materiais que “falem a mesma linguagem” e tenha um apelo visual compatível com a realidade do funcionário. Em um setor onde se trabalha majoritariamente em pé, por exemplo, procure não utilizar imagens com pessoas sentadas, pois isto não representa o cenário real e dificulta a sintonia entre mensagem e receptor. Esta dica vale também para fornecedores, terceiros, visitantes, etc.

  1. Realize palestras, treinamentos e reciclagens frequentes

Este tipo de investimento garante que, além do atendimento aos requisitos legais, a empresa promova o conhecimento de práticas corretas e atualizadas. É importante planejar bem para que os treinamentos sejam atrativos, dinâmicos e relevantes. A periodicidade também é fundamental. No entanto, é necessário estar alerta para não tornar-se repetitivo e acabar desinteressando os trabalhadores.

Durante uma capacitação é possível até mesmo reconhecer um talento subaproveitado de um ou mais funcionários, pois estes momentos favorecem o aperfeiçoamento de habilidades.

  1. Invista em momentos de integração e engajamento

A SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho) é um bom exemplo de um momento que acontece dentro do setor fabril com a finalidade de fornecer informações e integrar as equipes. É fundamental que os empregados possam contribuir, dividir situações vivenciadas, ter espaço para levar suas percepções, etc. Essas trocas incentivam os funcionários a trabalharem para ser exemplo aos colegas, fazendo com que o assunto “segurança” permeie os setores. O SESI/RS é o parceiro ideal para assessorar a realização da SIPAT, inclusive no formato virtual.

  1. Abra um canal de comunicação

É interessante que a empresa disponibilize um canal de comunicação para receber sugestões, dúvidas, reclamações, elogios e, até mesmo, denúncias. Este canal tem que ser levado a sério, deve ser sigiloso e o funcionário precisa ter a garantia de que pode confiar nesta ferramenta, sempre recebendo retorno ao que pontuou. É uma prática que requer um pouco mais de cuidado, mas o fato de fornecer um espaço para o trabalhador contribui muito com o estabelecimento de padrões de segurança.

  1. Tenha uma CIPA atuante

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) tem o papel de desenvolver ações de prevenção dentro da empresa. Por isso, as informações que os funcionários recebem devem estar em conformidade com as atividades da CIPA. Assim, é importante que haja o compartilhamento das pautas abordadas pela comissão e que todos os trabalhadores conheçam os tópicos que estão sendo mitigados por essa equipe.

Se quiser saber mais sobre a CIPA, o SESI/RS tem uma capacitação 100% EAD em NR5, a norma regulamentadora que prevê a criação da comissão.

  1. Crie um Mural da Segurança

O Mural da Segurança é uma forma de evidenciar destaques do mês, promover um ranking de setores com menos afastamentos, dividir boas práticas, ressaltar melhorias nos processos, etc. Estes murais funcionam como uma mídia dentro da empresa que, se bem utilizados e alimentados, podem estimular os funcionários a atuarem corretamente para fazerem parte do conteúdo.

  1. Construa um processo colaborativo e intersetorial

É importante que as áreas de RH, SST e Marketing estejam integradas para promover a segurança. Nem todas as empresas têm esses três setores bem determinados, mas é fundamental lembrar que promover a segurança é um desafio constante e que deve envolver um penso estratégico — seja através do RH, do SESMT, da comunicação interna, do técnico em segurança, da CIPA ou de quem for o responsável. O essencial é que “passe por várias mãos”, que seja colaborativo, ou seja: que o maior número possível de empregados possa fazer parte e contribuir da melhor forma para disseminar a necessidade de prevenir acidentes e doenças no trabalho.

  1. Invista em segurança de fato

Os conteúdos abordados devem ser reflexos de pilares sólidos, que buscam a eliminação dos fatores de risco, contando com um acervo de EPIs de qualidade, observação das normas regulamentadoras e outras legislações, com investimento em fatores coletivos de proteção e prevenção, etc.

Estas dicas podem auxiliar muito a empresa a engajar os trabalhadores na promoção da saúde e segurança no trabalho. Afinal, a comunicação interna tem, sim, o papel e a expertise para difundir o assunto e ajudar a promover a segurança. Isso, porém, só terá um resultado eficiente se a base de todo o discurso for real.

Se precisar de apoio em ações de SST, você pode contar com o SESI/RS! Há uma ampla oferta de serviços voltados para a promoção da saúde e segurança no trabalho.


Texto elaborado a partir do episódio 8 do podcast Conexão SESI com participação de Patrícia dos Anjos, publicitária e técnica em segurança no trabalho da gerência de saúde do SESI/RS.

Banner Sesi Viva MaisPowered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário

Share This